quarta-feira, 6 de abril de 2016

Rebaelliun - The Hell's Decrees (2016)


Rebaelliun - The Hell's Decrees (2016)
(Hammerheart Records - Importado)


01. Affronting the Gods
02. Legion
03. The Path of the Wolf
04. Fire and Brimstone
05. Dawn of Mayhem
06. Rebellion
07. Crush the Cross
08. Anarchy (The Hell’s Decrees Manifesto)

Que o Brasil e o Rio Grande do Sul sempre tiveram tradição no que tange às sonoridades extremas no Metal, não é novidade para ninguém. O que as gerações mais novas podem desconhecer é que, lá no final dos anos 90 e início dos 2000, uma verdadeira máquina de guerra Death Metal, com alto poder de destruição, surgiu no Sul do Brasil. Seu nome era Rebaelliun e lançaram dois verdadeiros clássicos, Burn the Promise Land (99) e Annihilation (01), trabalhos que fizeram literalmente muito barulho, tanto no Brasil quanto no exterior. Infelizmente, no ano de 2002 encerraram as atividades.

Eis que após 13 anos de hiato, anunciaram no ano de 2015 que estavam de volta e melhor, com planos de lançar um novo álbum. A expectativa gerada foi imensa, afinal, os amantes de Death Metal e do Metal nacional em geral, em momento algum haviam esquecido os brilhantes momentos do passado. A ansiedade por The Hell's Decrees era alta e todos se perguntavam como se daria tal retorno. E amigos, que retorno é esse!

Ouso dizer que sequer parece que ficaram tanto tempo separados, tamanho o nível de coesão apresentado pelo quarteto em The Hell's Decrees. Individualmente falando, Lohy Fabiano (Vocal/Baixo), Fabiano Penna (Guitarra), Ronaldo Lima (Guitarra) e Sandro Moreira (Bateria) também cresceram como músicos e se eram bons, ficaram ainda melhores, já que a técnica de todos se mostra ainda mais aprimorada. Isso acaba por refletir na sonoridade da banda, já que podemos observar uma maior diversificação no que tange aos arranjos, assim como boas mudanças de tempo aqui e ali. Sim, aqui não apostam apenas na velocidade e brutalidade, já que temos várias passagens mais cadenciadas e que apostam mais no peso (e que peso!). Vale destacar também os refrães aqui presentes, todos absurdamente marcantes.

Os guturais de Lohy estão ótimos e graças à ótima dicção, bem claros. Seu baixo ainda aparece com destaque em diversos momentos, fazendo assim uma bela seção rítmica com Sandro, que aqui apresenta uma bateria absurdamente pesada e técnica, além de bem variada. São um dos destaques de The Hell's Decrees. Já Fabiano e Ronaldo despejam riffs furiosos e destruidores, além de solos bem agressivos e diversificando bem nos arranjos. Suas guitarras são verdadeiras armas de destruição em massa, no mais amplo e melhor sentido de tal definição.

Sei que tal fala soa clichê, mas não existe faixa que possa ser chamada de descartável ou fraca. Destacar algumas pode até mesmo vir a soar injusto, mas como sei que se não o fizer, serei cobrado de tal fato, aponto a veloz "Affronting the Gods", a já conhecida e insana "Legion" (que refrão grudento), a cadenciada e diversificada "Fire and Brimstone", a técnica "Rebellion" e "Anarchy (The Hell’s Decrees Manifesto)", que encerra o trabalho da melhor forma possível, refletindo o trabalho como um todo, com seu peso, agressividade e diversidade.

A produção é outro ponto de destaque aqui. Como não poderia deixar de ser, foi realizada pelo guitarrista Fabiano Penna, um dos mais competentes produtores para Metal extremo da atualidade, tendo a masterização sido feita por Neto Grous, no Absolute Master Studio. A sonoridade característica da banda se manteve presente, ou seja, sua música está pesada e brutal, mas longe de soar datada, já que a produção conseguiu dar um ar moderno à mesma. Já a capa é mais um brilhante trabalho de Marcelo Vasco e consegue transparecer todo o clima encontrado pelo ouvinte no álbum.

Sem exageros e ufanismos, afirmo que estamos diante de um dos principais álbuns de Death Metal de 2016 e que certamente estará presente em muitas listas de melhores do ano em Dezembro. Visceral, brutal e agressivo, o Rebaelliun mostra em The Hell's Decrees que ainda tem muita lenha para queimar, podendo oferecer muito ainda para a música extrema. A máquina de guerra voltou e veio para tomar tudo que lhe é de direito.

NOTA: 9,0

Rebaelliun é:
- Lohy Fabiano (Vocal/Baixo)
- Fabiano Penna (Guitarra)
- Ronaldo Lima (Guitarra)- Sandro Moreira (Bateria)

Homepage
Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

2 comentários:

  1. Falou tudo meu amigo. Assino em baixo. Álbum destruidor de 2016.

    Me fez voltar lá atrás, quando assisti esses monstros abrindo para o Incantation em BH.

    Belo retorno, belo review!!!

    ResponderExcluir