sexta-feira, 18 de março de 2016

Jarakillers - Macabres Tales of Dark River (2016)


Jarakillers - Macabres Tales of Dark River (2016)
(Independente – Nacional)


01. Jarakillers
02. Exemplos
03. I Want My Life
04. Destroyer of Armies
05. Julius Cezar
06. Evil Prayer
07. Darkside
08. The Mushroom Cloud of Death
09. Dorothy Stang
10. Tormento
11. Terror Green Hell

A riqueza e efervecência do cenário do Norte/Nordeste é algo que definitvamente me impressiona. Nesse 3 anos de A Música Continua a Mesma, a quantidade de bandas de ótima qualidade vindas dessa região é algo digno de todos os aplausos, principalmente quando observamos que junto disso, temos na maioria das vezes uma cena que me parece mais bem estruturada que no Sul/Sudeste do país. O Jarakillers vem de Manaus/AM e, obstante um periodo de inatividade no meio dos anos 2000, já está na estrada desde 2001, organizando inclusive um festival que leva o nome da banda, o Jarakillers Fest, que já vai para a sua 4ª edição no ano de 2016.

Liricamente sua proposta é muito interessante, já que abordam em suas letras lendas e contos da Amazônia, além de acontecimentos da região (temos uma música tratando da misionária assassinada Dorothy Stang, por exemplo), sendo isso um diferencial para o Jarakillers. Já no campo músical, apostam em um Thrash Metal pesado, agressivo, violento e acima de tudo, rápido e direto, flertando com o Hardcore em diversos momentos (prestem atenção no trabalho de bateria). Os vocais de Kimo são raivosos e típicos do estilo, enquanto Carlos Mota despeja ótimos riffs com sua guitarra. A parte rítmica, com Jayth Chaves (Baixo) e Rodrigo Secheusk (Bateria) se destaca pelo belo trabalho, imprimindo peso e diversidade as canções. Influências de nomes como Sepultura, Slayer e Ratos de Porão podem ser observadas, mas soam exatamente dessa forma, já que conseguem dar um toque particular a suas músicas.

Macabre Tales of Dark Rivers é na verdade um grande apanhado da carreira do Jarakillers, já que a mais parte das canções aqui presentes já haviam aparecido em demos da banda no passado. Para o debut, foram rearranjadas, ganhando assim a cara da atual formação (após o lançamento, a banda anunciou a adição de um segundo guitarrista, Antônio Henn). O resultado foi muito positivo e aponto como destaques "Jarakillers", "Exemplos", "Destroyer of Armies", "Evil Prayer", "Dorothy Stang" e "Terror Green Hell".

A produção ficou a cargo da própria banda e os resultados são muito positivos, deixando tudo audível, mas sem perder a agressividade e o peso que se espera de um trabalho nessa linha. Já a capa é um belíssimo trabalho de Daniel Figueira, com total inspiração na proposta lírica da banda. No caso aqui, temos a "Cobra Grande" destruindo a Ponte do Rio Negro. Ao final, temos um belo álbum de Thrash Metal e que certamente estará entre os trabalhos mais legais do estilo que você terá a oportunidade de escutar em 2016. Corra atrás, pois vale a pena.

NOTA: 8,0

Jarakillers (Gravação):
- Kimo Monteiro de Paula (Vocal)
- Carlos Mota (Guitarra)
- Jayth Chaves (Baixo)
- Rodrigo Secheusk (Bateria)

Jarakillers é:
- Kimo Monteiro de Paula (Vocal)
- Carlos Mota (Guitarra)
- Antônio Henn (Guitarra)
- Jayth Chaves (Baixo)
- Rodrigo Secheusk (Bateria)

Homepage
Facebook
Soundcloud

Nenhum comentário:

Postar um comentário