segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Almah – Unfold (2013)




Almah – Unfold (2013)
(Substancial Music - Nacional)
               
01. In My Sleep
02. Beware The Stroke
03. The Hostage
04. Warm Wind
05. Raise The Sun
06. Cannibals In Suits
07. Wings of Revolution
08. Believer
09. I Do
10. You Gotta Stand
11. Treasure of The Gods
12. Farewell

Edu Falaschi pode ser um cara de declarações polêmicas e você pode ou não concordar com ele, mas uma coisa não podemos negar, independente do ponto de vista a seu respeito. O cara tem talento, não só como vocalista, mas como compositor e produtor e vem provando isso cada vez mais a frente do Almah. Os últimos tempos não foram lá muito fáceis para ele, seja pelo rompimento com o Angra, pelos problemas na sua voz ou pelas mudanças de formação em sua banda, mas superou todas essas dificuldades e agora presenteia seus fãs com um novo trabalho.
Vindo de três bons lançamentos, Almah (06), Fragile Equality (08) e Motion (11), Unfold era ansiosamente aguardado pelos fãs justamente por ser o primeiro trabalho de Edu a frente do Almah com essa sendo sua banda principal. Esses não irão se decepcionar aqui. Uma das principais características da banda, que é praticar um Metal moderno, atual, sem deixar de lado as suas influências naturais, continua mais do que presente aqui. Durante toda a audição, você poderá ouvir passagens Power, Prog e até mesmo momentos mais puxados para o Hard Rock, mas sempre fugindo daqueles velhos clichês dos estilos citados, mostrando que se pode sim, fazer um som calcado em sonoridades mais tradicionais, mas passar longe do mais do mesmo. Os destaques aqui são muitos. A sequência de abertura é empolgante, com a Power “In My Sleep”, a moderna “Beware The Stroke” e a furiosa “The Hostage” (minha preferida). Outra que segue uma linha mais Power e é ótima é “Believer”. Por sinal, vale chamar a atenção de como conseguem escapar dos clichês do estilo, algo raríssimo. “Cannibal In Suits” equilibra bem passagens melodiosas e modernas, enquanto “Wings of Revolution” e “You Gotta Stand” tem uma pegada mais Hard Rock, mas ainda sim soando modernas. A primeira então tem grande potencial para estourar nas rádios mais voltadas para o Rock. Outra questão a ser levantada aqui é a forma como Edu canta durante Unfold. Esqueça os exageros de sua ex-banda. Aqui, canta de forma mais contida, mais grave, o que é ótimo. Não resta dúvida de que sair do Angra foi a melhor escolha de sua carreira.
Com esse lançamento, o Almah se reafirma cada vez mais como uma das principais bandas do cenário nacional. Com uma identidade toda sua, maturidade, personalidade e principalmente, com um álbum forte, diversificado e consistente, se candidata a voos mais altos não só aqui como no exterior. Que essa nova fase na carreira de Edu renda muitos outros trabalhos como Unfold. Obrigatório na coleção de qualquer headbanger que se preze.

NOTA: 9,0

Twitter



Um comentário:

  1. Incrível! Excelente texto! Vou ouvir e conhecer!

    ResponderExcluir